Blog

abr 12

Empreender não é abrir um CNPJ. É agir.

Empreender não é abrir um CNPJ. É agir.

Talvez empreendedorismo seja uma das palavras mais na moda dos últimos anos. Está nas revistas, jornais, sites, blogs, redes sociais e nas mesas de conversas. De acordo com uma pesquisa recente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), dois em cada três jovens brasileiros pensam em abrir o próprio negócio nos próximos três anos.
É fantástico e mostra que tem muita gente pensando em empreender, em ir além, criar algo de valor. Particularmente, creio muito no empreendedorismo como impacto individual, coletivo, social, econômico e muito mais. Como costumo brincar com meus amigos: todo mundo deveria empreender na vida.
Um belo empreendedor tem a mente em estado de alerta, enxerga oportunidades onde muitos veem apenas reclamação, sabe conduzir as chances e também tem um senso para fazer a economia girar. É incrível ver, olhar, conviver ou ser uma pessoa assim.
Mas o intuito desta publicação é mostrar que o conceito de empreendedorismo vai muito além de criar um negócio.

Acredito profundamente na base sólida do verbo empreender, seja onde for:

empreender
verbo

1 – transitivo direto-decidir realizar (tarefa difícil e trabalhosa); tentar.”e. uma travessia arriscada”
2 – transitivo direto-pôr em execução; realizar.”e. pesquisas”

A força dessas duas explicações é incrível. E, claro, começa a mostrar dentro desta linha de raciocínio que ser empreendedor vai muito além do mundo tradicional. A palavra pode ser utilizada amplamente em outras frentes e ganha contornos para diferentes pontos da vida.

É necessário ter uma visão clara sobre o poder da ação. É isso que diferencia sonhadores de realizadores. Quando você é jovem, está no ensino médio, e já tem isso claro, suas chances aumentam consideravelmente. Tente pensar (e agir) sobre isso. Tire do papel aquela ideia brilhante, pois, na sua cabeça, ela é apenas uma ideia.

Empreender é realmente colocar o fazer como prioridade, tirar as coisas do campo dos sonhos e se arriscar numa jornada profunda. É preciso provocar as pessoas a empreenderem, seja dentro de uma empresa, morando na casa dos pais, nas escolas, nos grupos de amigos…

É PRECISO EMPREENDER.
Empreender um projeto na sua empresa (intrapeneur)
Empreender um negócio
Empreender uma viagem
Empreender uma jornada
Empreender um risco
Empreender um blog
Empreender um projeto social
Empreender uma ajuda
Empreender uma conversa
Praticar traz benefícios que podem marcar profundamente a sua vida e das pessoas ao seu redor.

Empreender gera aprendizado: nada te faz mover mais do que colocar-se diante de riscos, de cenários não conhecidos e de situações novas. Mesmo que você fracasse tristemente, isso representará uma vitória enorme.

Autonomia e Accountability: o bom e velho ato de “empreender-se” (sim, empreender-se) pode te dar a autonomia que falta, colocando você na linha de frente dos projetos, das oportunidades. Além disso, traz um senso de accountability muitas vezes não experimentado por pessoas que se escondem atrás do “não empreendedorismo”.

Tira você dá zona de conforto: precisa explicar ou os dois pontos anterior deixaram claro?

Cria empatia e respeito: pois é. Quando se é jovem, muitas vezes as pessoas acabam achando que o chefe é ruim, que o presidente da empresa é um burro e que você, o brilhante, faria tudo diferente. Quando você empreende, sua mente passa a entender o lugar e o papel do outro, calçando as sandálias do aprendizado e da humildade, para respeitar as lutas e batalhas de todo mundo.
Tenho um pouco de curiosidade sobre as pessoas que não empreendem nada. Acho bem esquisito. Mas perfil é perfil e essa diversidade é que garante um pouco do equilíbrio das coisas na vida.
Recomendo todo mundo a empreender, dentro daquela lista que trouxe acima.
Mesmo que você não queira ser empresário, empreenda.
Se quiser ser funcionário público, empreenda.
Quer ser professor? Empreenda.
Quer ser empregado? Empreenda.
Quer se aposentar? Empreenda.
Quer usar seu conhecimento para renda extra? Empreenda.
Ou você ainda está acreditando que empreender tem só a ver com abrir um CNPJ?
Empreenda, mesmo.

blank

Sobre o Autor

Fernando Pacheco é graduado em Comunicação Social - Jornalismo e em Gestão de Recursos Humanos, além de MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e pós-graduando em Controladoria e Finanças. Atualmente é Gerente de Desenvolvimento Estratégico na Samba Tech, eleita pela Fast Company uma das 10 empresas mais inovadoras da América Latina, além de autor do livro "O caminho dos líderes".