O mundo mudou! Com novas formas de enxergá-lo e a seus modos e preferências, dentre elas o “uso de um serviço” versus a “posse de um bem”, as novas gerações trazem um novo cenário e uma enorme oportunidade para uma economia baseada na 4ª Revolução Industrial ou, simplesmente, Indústria 4.0. Veículos autônomos; moedas digitais; impressoras 3D que imprimem roupas, alimentos e até imóveis; casas e cidades inteligentes; robôs executando atividades de advogados, cientistas e pesquisadores com maior precisão, rapidez e menor custo. Essas são algumas inovações presentes no mercado, que colocaram em xeque diversos modelos de negócios tradicionais.

Trata-se de uma nova janela de oportunidades, principalmente para negócios inovadores e com potencial de escalabilidade, as chamadas startups. Ao mesmo tempo, um paradoxo se apresenta: se temos um novo mercado com grandes oportunidades, por que as startups têm alto índice de mortalidade? Quais são os mecanismos aos quais os empreendedores precisam ficar atentos para alcançar, por meio de seus atributos e do empreendedorismo, o almejado sucesso? Estudos bibliográficos e pesquisas de mercado apontam fatores fundamentais para o sucesso desses negócios:

  • Enxergar uma “dor” de mercado relevante: buscar oportunidades que sejam de fato necessárias. Muitos empreendedores criam soluções para problemas triviais, apegam-se a elas, despendem grande energia e, no entanto, se frustram.
  • Ter propósito, gerar entrega e capturar valor: busca pela excelência para solucionar um problema que melhore a vida das pessoas e proporcione experiência positiva. Quando isso ocorre, o retorno financeiro será uma questão de ordem.
  • Ter uma equipe disposta, resiliente e alinhada ao propósito do negócio: uma startup, independentemente do segmento de mercado, tem seu desempenho apoiado na clareza de seus objetivos e no alinhamento de sua equipe ao propósito, tanto de vida quanto do negócio.
  • Sempre validar a solução junto ao mercado: uma grande ideia só é um grande negócio quando se traduz em resultados financeiros para a organização. Assim, para evitar dispêndio de recursos diversos na criação ou no aperfeiçoamento de uma solução, nada melhor do que co-construí-la com seu público potencial e validar as suas expectativas, tendo, assim, um produto ou serviço em consonância com o mercado.
  • Ter foco e capacidade de execução: um projeto de sucesso depende não só de um sonho ou visão, mas da capacidade de o empreendedor e seus colaboradores colocarem em prática todas as etapas de um planejamento, em busca dos resultados. É necessário ter um objetivo claro para que se saiba quais os caminhos a perseguir. Caso contrário, outros empreendedores o farão.
  • Estar em um ambiente que auxilie a conquista do sonho grande: um local que proporcione a troca de experiências, políticas diferenciadas de apoio ao desenvolvimento, uma cultura empreendedora com acesso à mão de obra qualificada e disponibilidade de recursos financeiros de suporte ao crescimento, aliadas a instituições de apoio e a um mercado potencial, formam um ambiente propício para a criação e desenvolvimento de negócios inovadores e de sucesso.

Estas são questões que merecem a atenção de todos os empreendedores que buscam solidificar negócios. Ressalta-se que falhas, ainda assim, são inerentes a toda a jornada. É importante frisar que, além de celebrar suas conquistas, o empreendedor tem uma obrigação social intrínseca de ajudar o seu ecossistema a evoluir. Compartilhar as suas experiências com novos empreendedores é uma atitude diferenciada, que proporciona reconhecimento e sentimento de dever cumprido na nobre carreira pessoal e profissional de um empreendedor que busca, além do sucesso, contribuir para a transformação do mundo em um lugar melhor.

 

*Artigo de Fabiano Alves Pereira: Analista do Sebrae Minas. Mestre em Inovação Tecnológica e líder da Rede Global de Empreendedorismo Endeavor em Uberlândia.